sábado, 28 de janeiro de 2012

ESSA É QUE ERA

E se eu escrevesse a vida a lápis e se nada me fizesse sofrer? Se o que eu escondo nunca existisse nem fosse feio de sentir?

E se os sonhos não me pertencessem, nem eu a eles? Se eu não desse azar à sorte ou se nunca tal tivesse dito? E se eu não fosse só um peixe voador, mudo e transparente? Que dor me atravessaria sem ser minha? Que grito daria sem ser ouvida?

Passei a história que escrevi à máquina.

4 comentários:

  1. ah, hoje acordaste numa de "I am a rock and i feel no pain".
    Ok, é muito bonito, mas ambas sabemos o que esconde.

    "feio de sentir"? O que é isso????????
    Negas o teu direito a ser? Aceita-te como és.

    Se escreveres a vida a lápis, espero que seja de cor.A fantasia faz falta à vida.
    E nunca deixes de sonhar.

    ResponderEliminar
  2. Sabemos? O que esconde, amiga?
    Há muitas coisas feias de sentir...
    Aceito-me quase sempre como sou... mas às vezes fica difícil.
    E também não tem mal nenhum querer mudar um bocadinho - limar umas arestas...
    Escrevo a vida ora a lápis de carvão, ora a cores, ora a lápis de cera... às vezes esborrato um bocadinho... mas vai-se levando.
    Nunca deixes de sonhar tu também, amiga!

    ResponderEliminar
  3. Obrigada por teres cá estado. Ainda bem que te sentiste bem. Volta sempre!! Beijinhos :)

    ResponderEliminar