quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

FUGI-ME

Distraí-me a olhar para ti e deixei-me fugir. Quando me apercebi, já era
tarde demais. Já ia longe. Ainda me chamei, mas já nem ouvi. E tu a olhares
para mim sem compreenderes o que se estava a passar. Tentei explicar-te, mas
não tinha voz; a minha voz tinha ido comigo para longe. Tentei explicar-te
com os olhos, mas não entendeste a lágrima. Abracei-me a ti e nunca mais te
larguei nem ao medo de estar assim só sem mim.

5 comentários:

  1. Há muito que não lia nada tão bonito, escrito por ti.
    É por causa destas que eu vou dando de barato aquela história de estares no centro das coisas, tal e coisa...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A sério? Tu gostaste de uma cena minha???Eh pá isso merece uma comemoração. Pago-te um chá, boa?

      Eliminar