quarta-feira, 11 de abril de 2012

COINCIDÊNCIAS COINCIDENTES

O António Antunes e o Fernando Fernandes eram amigos: cada um dos seus:
eles não se conheciam. Tinham em comum o gosto pelo mergulho, mas nem um
nem outro alguma vez experimentou mergulhar; gostavam de gostar – achavam
graça. O António Antunes esteve quase para saltar de pára-quedas, ainda se
inscreveu num curso, mas desistiu – viu-se aflito para recuperar o dinheiro
da inscrição, mas lá conseguiu. O Fernando Fernandes que nem pensar, que
tinha medo das alturas. Eram dois homens extraordinariamente comuns e nada
os relaciona, apenas que ambos gostavam de gostar de mergulho e que ambos
morreram – grande coisa – , tendo sido enterrados lado a lado no cemitério
dos Prazeres.

4 comentários:

  1. Muito engraçado.
    O que faz um homem extraordinário
    é ter nascido ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gosto da tua frase.

      No entanto, ela significa que todos os homens são extraordinários, o que por si só encerra uma contradição.

      Eliminar
    2. Se pensares em quantos espermatozoides ficaram pelo caminho...

      Eliminar